quinta-feira, 28 de outubro de 2010

porque Clockwork Orange?




Durante a aula de Estudo da LInguagem Visual, a professora Marina http://marinapzn.tumblr.com/, levantou a questão: Porque o filme Laranja Mecânica tem esse nome????
Invoquei o poderoso oráculo... Google!
O filme tem esse nome então, em decorrência de curiosos aspectos linguístos.
Ao final do livro de Anthony Burguess encontramos um glossário para a gíria “nadsat” falada pelos personagens. Um estudo mostra que a grande maioria das expressões deriva do russo. Por exemplo: Baboochka, do russo Babooshka (avó) ; Devotchka, do russo Devochka (garota). O livro foi escrito no auge da guerra fria e Burguess provavelmente imaginou ou brincou com a possibilidade de que a grande polarização econômica entre EUA e URSS iria gerar no futuro efeitos culturais e lingüísticos na Inglaterra. Outras expressões do glossário “nadsat” são gírias, trocadilhos, novos sentidos para velhas palavras, etc. O título original do livro, “A Clockwork Orange” não significa apenas a tradução literal – Laranja Mecânica. Uma das expressões encontradas no glossário com um novo significado é justamente orange, que além de laranja passa a designar também “homem”. Isto se dá por um trocadilho feito com a semelhança fonética de orange com orangutan (orangotango, primata altamente desenvolvido, e como o gorila e o chimpanzé, “parente” do homem). Ou seja, temos aí “Homem Mecânico”, que é o que Alex se torna após o condicionamento, um ser programado, sem poder de escolha. Outra versão seria de que o termo vem de uma velha expressão “Cockney” que designaria tipos estranhos (havia a expressão tão esquisito quanto uma Laranja Mecânica – “as queer as a clockwork orange”); há certa ironia em dizer que algo orgânico possa ter mecanismos e engrenagens.
     Alex De Large, o nome do personagem principal, além de ser anagrama de Alexandre, o Grande, tem um significado extra: A-lex, do latim sem lei. Ele é um ser guiado por seus instintos e interesses, desprovido de moral ou consciência.






O filme tem uma linguagem visual mega conceitual e excêntrica, serve como referência para muitos designers e profissionais do gênero.
Delta Lab, um dos  primeiros "designer recording studio" do mundo criou salas feitas na tríade preto-branco-e-vermelho e os ambientes inspirados no filme.




A coleção masculina no último dia do SPFW Verão 2011de Alexandre Herchcovitch, teve como um de seus temas o protagonista do filme (Alex DeLarge).
Ah, vai.. essa mesa de centro, desenhada pelo designer de interiores búlgaro Svien Gamolov, também deve ter sido inspirada no filme!





















E por aí vai...bonecos, miniaturas, desenhos etc.
quem nao assistiu ainda, assista! Porque é um clássico!
http://www.youtube.com/watch?v=5n2NXuQ5ako

7 comentários:

  1. Muito boa sua explicação esta de parabens =D

    ResponderExcluir
  2. Que legal. Vou escrever um posto sobre Laranja Mecânica em meu blog e quero colocar sua explicação para o nome lá, com a devida fonte é claro. E também quero colocar um link do seu blog, que aliás, é muito legal. Você tem um email de contato?

    Abçs
    Raquel Mariano
    www.raquelmariano.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. post e não posto, rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Ôh querida, vc copia o texto do outro blog e não dá o crédito? Tsc, tsc, que feio, hein? Avisa aí pra sua colega Raquel Mariano que boa parte do post é do Maurício Dias, desse blog aqui: http://comoeueratrouxaaos18anos.wordpress.com/laranja-mecanica-a-clockwork-orange-1971/

    ResponderExcluir
  5. O termo "LARANJA" é utilizado no jargão policial quando prendem delinquentes e tem que "espremer" ou seja torturar para estes delatar outros membros da quadrilha ou ocultações de corpos e mercadorias. exemplo: "Meu plantão terminou, prendi e deixei no porão 4 laranjas pra tu espremer" (troca de turno de policiais)

    ResponderExcluir
  6. É uma porcaria de filme. É um clássico sim, clássico do inútil.

    ResponderExcluir
  7. É uma porcaria de filme. É um clássico sim, clássico do inútil.

    ResponderExcluir